Sábado, 22 de Janeiro de 2022
36°

Poucas nuvens

Paranavaí - PR

Cidades Sinserpar

Servidores saem animados de reunião com prefeito em exercício Pedro Baraldi

“Embora a única definição tenha sido o reajuste de 10,16%, que é referente ao INPC do ano passado, as portas ficaram abertas para as negociações”, informou o presidente

13/01/2022 às 12h13
Por: Da Redação Fonte: Ass. Imp. PMP
Compartilhe:
O encontro, na manhã desta quarta-feira (12), foi para tratar das reivindicações dos servidores
O encontro, na manhã desta quarta-feira (12), foi para tratar das reivindicações dos servidores

“Eu fiquei animado. Estou esperançoso”. A reação é do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Paranavaí (Sinserpar), Gabriel dos Santos Luiz, e foi manifestada após reunião de uma comitiva da categoria com o prefeito em exercício Pedro Baraldi. Ele representou o prefeito Carlos Henrique Rossato Gomes (Delegado KIQ), que está afastado para tratamento de saúde.

O encontro, na manhã desta quarta-feira (12), foi para tratar das reivindicações dos servidores, que têm sua data base em 1° de janeiro. “Embora a única definição tenha sido o reajuste de 10,16%, que é referente ao INPC do ano passado, as portas ficaram abertas para as negociações. E vamos votar a nos reunir em 30 dias”, acrescentou o presidente.

A reunião entre a Administração Municipal e os servidores foi solicitada pelo Sinserpar no último dia 22, quando foi protocolada na Prefeitura a pauta de reivindicações da categoria, que foi elaborada em assembleia geral. O Sindicato apresentou diversas reivindicações, entre as quais o reajuste salarial de 15%, que seria a inflação de 2021 (10,16%) mais 4,52% de 2020. “O prefeito Pedro Baraldi disse que no momento não tem como repassar este índice. Mas disse que a gente voltaria a conversar em 30 dias sobre esta e outras reivindicações. A forma como ele e o secretário da Administração (Márcio Assakawa) conduziram a reunião nos deixou bem animados”, disse Santos. A vereadora Cida Gonçalves, que também é servidora, participou do encontro.

O presidente contou que, durante a audiência, a categoria pode esclarecer os principais pontos da pauta de reivindicações. Lembrou que um dos principais temas foi a redução da jornada de trabalho para algumas categorias que estão cumprindo uma carga de 9 horas diária de trabalho. Na ocasião, a servidora Aparecida de Fátima de Oliveira Silva, representando os agentes de conservação, cozinheiras, ajudantes gerais e auxiliar de serviços gerais explicou que a atual jornada “excede os limites físicos” e compromete a qualidade dos serviços, “porque muitos não conseguem sequer ter o horário de descanso”. O prefeito em exercício ficou de avaliar a questão e dar um retorno no próximo encontro com os servidores.

A vereadora professora Cida Gonçalves, que também manifestou favorável ao reajusta de 15%, que, num primeiro momento, foi negado, apoiou as demais reivindicações e frisou a necessidade de repasse aos professores do reajuste de 33,23%, que é o índice de correção do piso salarial nacional do magistério. Ela pediu que este índice fosse repassado para todas as classes e não só a inicial, porque os profissionais das classes subsequentes estão com os salários defasados. Lembrou que isto é possível fazer, já que o salário dos professores é pago com recursos de fonte diferente.

DIFICULDADES - No encontro, Santos lembrou que os servidores têm passados por “grandes dificuldades” nos últimos dois anos e tiveram seus rendimentos achatados por conta da reforma previdenciária, pelo não repasse da inflação de 2020 e agora a alta inflação que chegou a dois dígitos.

Citou que a Covid trouxe grandes desafios para o setor, obrigando servidores da Secretaria de Saúde a cumprir jornadas exaustivas para tender a comunidade.

Após a audiência, o presidente do Sinserpar reforçou que espera da Administração Municipal “alto espírito de justiça”, já que as reivindicações não buscam privilégios, mas “melhores condições de trabalhos e condições do servidor ter e dar uma vida digna à sua família”.

“Estamos confiantes. Os servidores enfrentaram dois anos de dificuldades e perdas e foram fundamentais para enfrentar a pandemia e manter os serviços públicos essenciais em funcionamento. Esperamos este reconhecimento e a expectativa é de atendimento aos nossos pedidos. Estamos confiantes”, disse ele.

Participaram da audiência com Baraldi e Assakawa, além do presidente Gabriel dos Santos, da vereadora Cida Gonçalves e da servidora Aparecida Silva, os seguintes diretores do Sinserpar: Marcia Regina Victor Francisco (vice-presidente), Luara Alexandre dos Santos (secretária), Décio Borges Monteiro (diretor de Patrimônio) e Anderson de Jesus Moreno (conselheiro fiscal), além dos advogados Claudio Stéfano e Sanatiel Santos Júnior.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias